Pensadores

"Os verdadeiros analfabetos são aqueles que aprenderam a ler e não leem." (Mário Quintana)

"Eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida." (Clarice Lispector)

Aprendi a aceitar minhas derrotas com a cabeça erguida e os olhos adiantes, com a graça de um adulto e não com a tristeza de um criança. (Shakespeare)

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Quem planta indiferença, colhe solidão.



Certa vez li o seguinte trecho: "Quem planta indiferença, colhe solidão", e cheguei a conclusão de que realmente...faz sentido.

Existem pessoas que acreditam que pisar, não demonstrar, magoar, machucar...fará com que o parceiro fique loucamente apaixonado. De certo, elas se apaixonam mesmo, quanto mais machucadas ficam mais querem aquele que as machuca... mas e quanto ao amor ? Será que indiferença colhe amor ?

É óbvio que não.

Paixão é fogo de palha, acende e logo apaga . Amor é forno a lenha, demora pra acender, mas quando o faz, não apaga cedo.

A paixão é violenta, vem como um furacão, belo mas destrutivo...devasta tudo por onde passa. Já o amor é sereno, chega de mansinho e vai crescendo, crescendo, e quando se dá conta que o sentimento está ali, já não tem volta...a tendência é crescer se tornando aos poucos estupendo.

A paixão viola todas as regras, ultrapassa todos os limites, supera toda razão. Já o amor, este não tem nem explicação.


Não se engane esperando que maltratando alguém conseguirá prendê-lo a ti, quem escolhe magoar para ter, é fraco, insensível, indigno de tamanho sentimento. Aprenda que o amor vai muito além das barreiras que os apaixonados impõe. O amor vai muito além de qualquer outro sentimento, seja este bom ou ruim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário